Photo by Patrick Tomasso on Unsplash

Contramão

Eu falava cada vez mais alto.
De repente estava aos berros.
Me ignoravam? Não me ouviam, eram surdos?
Fizeram-me pensar que estava louco, fiquei rouco e aos poucos fui entrando em mim, construí novos sentidos, sonhei mundos com ouvidos que pudessem me ouvir, com temperatura de gente que pudesse me aquecer.
Era contramão e ninguém parou para ver os corpos no chão, quem se chocou?
Só os que precisavam de espaço, só os que precisavam de tempo, só os que desviavam.

@william_pardo_escritor

Escritor de boteco, filósofo de porta de padaria, ator de quermesse de cidade do interior, vocalista de araque, sonegador de dízimo.