Photo by Jp Valery on Unsplash

O Preço

Quero pagar o preço justo, só isso.

Pela dor, ódio, ranço, amor, quero pagar pela paixão, pela decepção que provém dela, fazer imagem de deusas em pedra sabão, erguer, colocar no pedestal meu pau, no pau de selfie uma máquina de sorrisos.

Eu compro, consumo tudo que for e pronto, tudo pronto, resumido, condensado, alinhado ao fluir da demanda, sexo, foda, cena, estudo de cena de estupro, quem é a vitima? Quem pode deter? É muito poder, determinando a vida de muitos na mão de muito poucos, com identidade, carteira de motorista, de clube, de estudante, pagando meia entrada para o show do circo itinerante.

Levo em consideração as etapas, a meta para o projeto de vida, economia, pois ela também existe, mas quero pagar um preço justo.

Photo by Patrick Tomasso on Unsplash

Contramão

Eu falava cada vez mais alto.
De repente estava aos berros.
Me ignoravam? Não me ouviam, eram surdos?
Fizeram-me pensar que estava louco, fiquei rouco e aos poucos fui entrando em mim, construí novos sentidos, sonhei mundos com ouvidos que pudessem me ouvir, com temperatura de gente que pudesse me aquecer.
Era contramão e ninguém parou para ver os corpos no chão, quem se chocou?
Só os que precisavam de espaço, só os que precisavam de tempo, só os que desviavam.

@william_pardo_escritor

Auxílio Emergencial

Sei lá, parece que o ar mudou
Saiam na rua, olhem para o céu
Ainda mantém a mesma cor?

Toda semana precisamos de um auxílio emergencial, de uma primeira, segunda e terceira impressões, para primeiras, segundas e terceiras intenções.
É o primeiro dia de tantos e o último…

Vitrine

Eu sou a vitrine dos rebeldes covardes
Ninguém me picha ou me enche de pedras
Me admiram em segredo, mas com vergonha de admirar o ridículo em si mesmos

Sou o que paga prestações atrasadas
O que tem preguiça de ir trabalhar
O sono depois do meio dia
O desejo, só pelo desejo, sem mas ou tentativas de explicar

Sou o inicio do fim em mim na tentativa de nos explorar
No meu último ato, vou exclamar:
- Mundo fodido, partirei sabendo que transei contigo.
Sem céu, sem pão, sem luz no fim do túnel
Morrerei com um tesão danado pelos que estão vivos

Photo by Giorgio Manenti on Unsplash

Motor Cíclico

Descobri que as pessoas são loucas por quem anda de motocicleta
Há um certo fascínio fascinora correndo nas veias dos velhos
Totalmente sádico, de certa forma, banal

O fato de não ter vivido isso ou aquilo, de não ter sentido aquilo outro
É porque não viveu nada, sobreviveu e sobrevive, mas não vive

Agora, toda vez que vejo um jovem empinando uma moto
Fazendo o motor girar rápido e alto
Para esse tipo de vida, penso ser o apogeu

Nada contra, só não me intriga
Não é da minha conta o que não faz da sua vida
Mas é o que reflete na minha, até as consequências do que não faz

@william_pardo_escritor

Photo by Annie Spratt on Unsplash

Amor à Primeira Vista

Eu sei que decepciono, não posso te dar mais do que isso, decepciono inclusive por dar mais para quem você acha que não merece.

Não tenho preço, nem valor, minha atenção não é ao acaso, nem está ao dispor de uma dessas conveniências quaisquer, ao mesmo tempo, em qualquer momento posso pensar em você e você sem saber pode pensar que não me importo, fico dias, anos, vidas inteiras, à beira, e quando converso, quando escrevo, na verdade, eu me confesso.

Confecciono, faço conjecturas, simulo seu rosto, seu sorriso, seu olhar, te uso em discursos, ainda que sua fala esteja em total desuso para esses tempos.

Acreditem em mim, pois eu acredito, em amor à primeira vista.

Mensagem

Venho através dessa mensagem convidar os leitores do meu perfil do Medium a me acompanhar na minha página do Instagram.

Estarei postando aforismos e de vez em quando crônicas e poesias por lá.

No instagram: @william_pardo_escritor

Greek’s Gift

Guideline 2

Is not to harmonize, it is not to please, it is not to conform, nor to satiate the soul. What I want is the discomfort, the indisposition regarding the character itself, divided by flesh, bones, cells, atoms, cell phones, cloud and characters. I want to dissociate while I use words that will be as inaudible to those who are asleep, as well as unrecognizable to those who are awake. An inconvenience for those who wish, aspire or plan to contemplate themselves and a null gesture for those who already contemplate, even though they contemplate the image they create and there is none that is. In the meantime, I will continue to hope for an end, as convincing as the theory of the beginning, an explosion that will set us free.

William Pardo

Escritor de boteco, filósofo de porta de padaria, ator de quermesse de cidade do interior, vocalista de araque, sonegador de dízimo.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store